Não choro mais. Na verdade, nem sequer entendo porque digo mais, se não estou certo se alguma vez realmente chorei. Acho que sim, um dia… Quando havia dor. Agora só resta uma coisa seca. Por dentro e por fora.

"Eu sempre fui meio nômade, não me sinto presa a nada nem a ninguém. A verdadeira prisão está dentro de nós, vai muito da nossa interpretação da vida, das reações perante fatos e pessoas, vai da intensidade que nos importamos com o outro, da nossa capacidade de mudar, sacudir e pagar o preço que for pela liberdade, mesmo que isso seja duro e muito louco, mesmo que isso seja a nossa própria morte, para, assim, podermos recomeçar."
  • Elisa Bartlett (via oxigenio-dapalavra)

    September 1st with 117 notes // reblog

  • "Eu sempre fui meio nômade, não me sinto presa a nada nem a ninguém. A verdadeira prisão está dentro de nós, vai muito da nossa interpretação da vida, das reações perante fatos e pessoas, vai da intensidade que nos importamos com o outro, da nossa capacidade de mudar, sacudir e pagar o preço que for pela liberdade, mesmo que isso seja duro e muito louco, mesmo que isso seja a nossa própria morte, para, assim, podermos recomeçar."
  • Elisa Bartlett (via oxigenio-dapalavra)

    September 1st with 117 notes // reblog

  • "Não, a vida não me desapontou. Pelo contrário, todos os anos a acho melhor, mais desejável, mais misteriosa. Desde o dia em que vejo a mim a grande libertadora, a ideia de que a vida podia ser experiência para aqueles que procuram saber, e não dever, fatalidade, duplicidade. Quanto ao próprio conhecimento, seja ele para outros aquilo que quiser, um leito de repouso, ou o caminho para um leito de repouso, ou distração ou vagabundagem, para mim é um mundo de perigos, é um universo de vitórias onde os sentimentos heroicos têm a sua sala de baile. A vida é um meio de conhecimento; quando se tem este princípio no coração, pode viver-se não somente corajoso mas feliz, pode-se rir alegremente. E quem, de resto, se ouvirá, portanto, a bem rir e a bem viver se não for primeiramente capaz de vencer e de guerrear?"
  • Friedrich Nietzsche (via quoteiros)

    September 1st with 524 notes // reblog

  • "A melhor forma de fazer uma pessoa gostar de você, é não gostar muito dela."
  • O Teorema Katherine.  (via apagou)

    (Source: delator)


    September 1st with 24,206 notes // reblog

  • "Virou um caos. Cada um com seus problemas. Ninguém pode e nem deve desmerecer o problema do outro. Cada ser humano sente e sabe o que sente. Sabe se aguenta, se consegue ir adiante, se tem saída e se não tem. Ninguém pode dizer se o meu problema é ou não uma perca de tempo, um equívoco ou um desespero. Porque todos nós temos síndromes, traumas e um cérebro que nos faz relembrar boa parte de tudo o que já nos aconteceu. As pessoas não possuem o direito de condenar ninguém por motivo algum. Tudo o que nos acontece, permanece do lado de dentro. Podemos desabafar com palavras, lágrimas, gritos ou sei lá o quê. Mas, lá no fundo, ainda fica dentro da gente, ninguém vê, ninguém pode sentir por nós. Cada ser humano tem um nível de resistência diferente. Ninguém sente o que nós sentimos. Ninguém nunca vai passar pelo que nós passamos."
  • Thamiris Dondóssola  (via morbidavel)

    (Source: thamirisdondossola)


    September 1st with 126 notes // reblog

  • "Ele acordava às dez da manhã de todas as manhãs desde o mês passado, quando conseguia dormir às seis da manhã compensado as noites que a insônia tomou todo o espaço da cama. Ficava na cama olhando para o teto, para aquelas linhas velhas e sujas por onde uma gota d’água escorreu um dia. Acordava sempre com aquele mau hálito matinal, e dores de fome que pareciam de parto. Acordava com aquela preguiça de abrir os olhos e as janelas, com preguiça de levantar e abrir a cortina, de olhar a rua e de viver. Preguiça de viver. O quarto bagunçado feito o coração, com roupas sujas que cheiram a amor, e na escrivaninha a xícara de café de ontem perto do porta retrato com a foto dela no retrato da porta. Ele acordava meio de lado com os olhos vermelhos e vazios de lágrimas. Ele não sabia o que acontecendo. Ele acordava, mas não dormia. Ele não sabia que estava doente. Não sabia que estava apaixonado. Ele não sabia que era amor."
  • D C Monroe, Aquele sobre manhãs, preguiça e amor (via eucaliptas)

    (Source: o-jornalista)


    September 1st with 837 notes // reblog

  • "A gente se entrega nas menores coisas."
  • Caio F. Abreu.   (via poesografias)

    (Source: alentador)


    September 1st with 7,108 notes // reblog

  • "Quando amamos uma pessoa, a amamos por inteiro, não somente as partes boas."
  • Valentine’s Day.   (via poesografias)

    (Source: alentador)


    September 1st with 8,608 notes // reblog

  • "Talvez haja alguma coisa que você tem medo de dizer, ou alguém que você tem medo de amar, ou algum lugar que você tem medo de ir. Vai doer. Vai doer porque é importante."
  • John Green. (via poesografias)

    (Source: transcritada)


    September 1st with 10,026 notes // reblog

  • "Porque a vida segue. Mas o que foi bonito fica com toda a força. Mesmo que a gente tente apagar com outras coisas bonitas ou leves, certos momentos nem o tempo apaga. E a gente lembra. E já não dói mais. Mas dá saudade. Uma saudade que faz os olhos brilharem por alguns segundos e um sorriso escapar volta e meia, quando a cabeça insiste em trazer a tona, o que o coração vive tentando deixar pra trás."
  • Caio Fernando Abreu.  (via poesografias)

    (Source: delator)


    September 1st with 5,455 notes // reblog